Ameaça oculta

Conheça quem são os sequestradores digitais e como combatê-los


De acordo com levantamento da consultoria alemã Roland Berger, as perdas globais com cibercrimes podem chegar ao marco de U$ 6 trilhões neste ano. Só no Brasil, 9,1 milhões de ocorrências de crimes cibernéticos foram registradas e o país é o 5º que mais sofre pela falta de cibersegurança no mundo. Já o relatório "Fast Facts", da Trend Micro, afirmou que o Brasil é o quarto país no mundo com mais ataques disseminados por e-mail, segundo análise do panorama mundial de ameaças cibernéticas em janeiro de 2022.

Identificar quem são os sequestradores digitais e como combate-los são algumas das questões que devem ser levantadas, como forma de orientar empresas a corrigir possíveis falhas e proteger futuras vítimas do sequestro de ativos e informações confidenciais.

Quem eles são e como encontram as suas vítimas?

Por enquanto, o que se sabe é que é quase impossível rastrear a origem de um ataque por "ransomware", um tipo de programa que explora as falhas de segurança de uma empresa ou indivíduo, e paralisa sistemas ao criptografar dados de computadores e smartphones, desbloqueados após o pagamento de um resgate. Analisar como eles escolhem as suas vítimas, é um primeiro passo para conter os ataques.

A princípio, as vítimas que estavam no radar dos criminosos eram organizações multinacionais, pelo pedido de resgate em grandes valores financeiros. Hoje, no entanto, qualquer pessoa é um possível alvo, como instituições de esfera pública, pequenas e médias empresas, que são mais vulneráveis e preferem pagar rapidamente o resgate, pelo medo do ataque arruinar a sua imagem e causar o risco de falência.

Atenção redobrada no home office

Sem cuidados constantes com a segurança digital, as portas de entrada que permitem o acesso dos cibercriminosos são diversas. As invasões podem acontecer por e-mail, celular, redes sociais, sites maliciosos, download de software e aplicativos com vírus, uso de pen drives infectados, entre outras armadilhas.

Porém, o maior problema nesse tipo de ataque é que além das ameaças estarem espalhadas em toda a rede, a Polícia ainda não está preparada para identificar os criminosos, que atuam de forma oculta, com um IP mascarado, que é capaz de mudar de localização para confundir autoridades. Além disso, a forma de pagamento do resgate se dá por Bitcoin, moeda virtual difícil de ser rastreada, deixando a cargo da própria vítima pagar pelo resgate do conteúdo sequestrado ou não, e aumentar a proteção dos seus sistemas.

Como combater a ação dos criminosos?

Existem diversas soluções de alta tecnologia que podem e devem ser implementadas para prevenir os ciberataques, como utilizar um sistema de recuperação de dados, instalar programas de antivírus e fazer o uso de programas licenciados e atualizados.  

A implementação de soluções robustas de segurança digital deve ser priorizada pelas empresas, envolvendo todos os colaboradores, inclusive no home office. Para uma proteção mais completa, é preciso, segundo o especialista:

- Estruturar a área de segurança da informação, minimizando os riscos e maximizando a confiabilidade dos sistemas.

- Criar uma política para garanta que todas as mídias portáteis de armazenamento de dados, como pen drives, smartphones e computadores, portáteis ou não, sejam verificados e estejam livres de código ou software malicioso.

- Certificar que o local de armazenagem de dados não seja o mesmo do sistema de backup, possibilitando a restauração e recuperação em caso de desastres físicos, como um incêndio.

- Manter o inventário de ativos continuamente atualizado, com todos os equipamentos e softwares registrados.

- Implementar um processo de gerenciamento de incidentes e testar a resposta em fases: preparação; detecção e análise; contenção, erradicação e recuperação; e atividade pós-incidente.

Envie os nossos conteúdos por e-mail. Utilize o formulário abaixo e compartilhe os link deste conteúdo com outros profissionais. Aproveite e escreve uma mensagem bacana.

Envie os nossos conteúdos por e-mail. Utilize o formulário abaixo e compartilhe os link deste conteúdo com outros profissionais. Aproveite e escreve uma mensagem bacana.

Aproveite para compartilhar conosco o que achou do teor deste conteúdo. Nossa equipe e o mercado querem ouvir a sua opinião. Vamos lá?

Faça uma busca

Acontece

Sugestão da redação

Mundo Facility

EATON comemora 65 anos de Brasil

Transição energética, sustentabilidade e digitalização são os principais focos da empresa

Mundo Facility

As melhores práticas de Climatização e Manutenção para Facility Managers

O evento realizado em parceria com a Smacna Brasil reuniu em modo híbrido mais de 150 participantes em dois dias de programação especializada

Mundo Facility

Mercado Imobiliário aquecido

[Real Estate] GT Building celebra R$ 300 Milhões em VGV, em 2021

Matérias líderes de audiência

Mundo Facility

EATON comemora 65 anos de Brasil

Transição energética, sustentabilidade e digitalização são os principais focos da empresa

Mundo Facility

As melhores práticas de Climatização e Manutenção para Facility Managers

O evento realizado em parceria com a Smacna Brasil reuniu em modo híbrido mais de 150 participantes em dois dias de programação especializada

Mundo Facility

Mercado Imobiliário aquecido

[Real Estate] GT Building celebra R$ 300 Milhões em VGV, em 2021