Edifícios que vendem

Especialista em ESG e gestão de negócios traz insights sobre o efeito do bem-estar dos ambientes na produtividade dos habitantes.

Por Roldo Goi Junior, executivo experiente em Gestão de Negócios e ESG

Edifícios que vendem

Já é difundida a ideia de que a arquitetura atua diretamente em nosso bem-estar. A frase mais comum é aquela de que nos sentimos bem, acolhidos, aconchegados, ou não, sem saber por quê. É o efeito do ambiente em que estamos. É claro que muitas vezes temos emoções internas que nos dominam, mas, na maioria das vezes, estamos em paz e desatentos sobre de onde vem a sensação. Só que essa ideia foca nos ambientes domésticos, nossos lares.

Como em tudo relativo a pessoas, ainda há um grande contingente que acredita que lugar de ser feliz é em casa. Recebi esse feedback de um executivo gaúcho quando escrevi no Estadão sobre felicidade relacionada a produtividade e qualidade.

Por esse motivo, não é comum que, ao implantar empresas, principalmente industriais, se pense em edifícios que signifiquem um ambiente que abre portas por si só, apenas por existir, e tenha o mérito de passar uma mensagem de clareza, qualidade, funcionalidade. Esse efeito tem muita credibilidade, porque é invocado no íntimo das percepções dos visitantes e não tem interferência de uma fala vendedora de seu anfitrião, seja quem for.

Mas, felizmente, há muitos empresários pensando assim, e muitos arquitetos e empresas de construção e design fazendo assim. São templos de inteligência e sensibilidade. Ao planejar o envolvimento do cliente-alvo, não o fazem com o espírito de envolvê-lo artificialmente, mas de respeitá-lo como alguém capaz de receber e processar a mensagem do edifício e das instalações.

Sou testemunha desses impactos, por ter dirigido projetos, incluindo localização, acesso, estilo geral, divisão interna, pontos de exposição, conceitos, paisagismo, movimentação interna, materiais utilizados, cores utilizadas, sempre na companhia de esplêndidos arquitetos, e para empresários de visão e nobreza.

Conseguimos não apenas o impacto de conquista visceral de clientes, mas um efeito que víamos inicialmente como secundário, de Endomarketing, que aprendemos ser principal também. As pessoas que vivem nesses edifícios são inspiradas a dar o melhor de si, como se desejassem se nivelar à mensagem do edifício.

Edifícios que vendem

Foto: Divulgação

Uma conspiração de Excelência.

É evidente que esses edifícios abrem portas, predispõem à compra, mas essas portas têm molas. Elas se fecham lentamente, se o timing for perdido. E ele será certamente perdido, se não houver produto e serviço a oferecer, que consagrem a mensagem passada. E um relacionamento com o cliente, que faça a manutenção emocional dessa fidelidade. Felizmente, de modo geral, quem pensa em um edifício assim também pensou antes na excelência do que tem para entregar.

Edifícios vendedores não têm que ter um custo excepcionalmente alto. É mito. O que causa impacto é a inteligência de combinação de espaços, iluminação, ventilação e a escolha dos materiais e cores, junto à valorização dos elementos naturais.

Naqueles em que atuei, o custo se elevou em até 4% contra a solução caixote, mais comum. Esse custo foi apurado por análise detalhada, focando diretamente nos custos da obra contra o custo médio do mercado.

Se estiver planejando construir, pense nisso e arrisque ir mais fundo nessa possibilidade. É algo que vai durar muito e reduzir à metade o esforço complementar de vender.



Veja também

Conteúdos que gostaríamos de sugerir para a sua leitura.

Envie os nossos conteúdos por e-mail. Utilize o formulário abaixo e compartilhe os link deste conteúdo com outros profissionais. Aproveite e escreve uma mensagem bacana.

Faça uma busca

Mais lidas da semana

Operações

Como Centro de Distribuição da Unilever conquistou LEED Platinum

Confira quatro práticas da multinacional e garanta insights sobre gestão sustentável.

UrbanFM

"São Paulo é uma máquina de geração de tempo perdido", afirma professora da USP

Entenda quais são os desafios para implementação de novos caminhos na capital paulista.

Mercado

Brasil ultrapassa os 2,5 milhões de sistemas solares fotovoltaicos em casas

Inversores híbridos são os mais indicados para as regiões Norte e Nordeste

Carreira

David Douek fala sobre pioneirismo na construção sustentável brasileira

Empresário percebeu mudança no setor imobiliário ao final dos anos 2000. Confira entrevista exclusiva sobre construção de carreira, especializações em Green Buildings e práticas sustentáveis.

Sugestões da Redação

Revista InfraFM

Legado para os brasileiros e para o planeta

Diretor Executivo do Centro de Serviços Compartilhados da Globo compartilha insights sobre inovação.

Revista InfraFM

Center Norte investe em expansão, novas tecnologias e certificação ISO 41001

Em entrevista exclusiva, equipe de Facilities Management e de Projetos da Cidade Center Norte fala sobre desafios do processo de modernização.

Revista InfraFM

Por qual ângulo devemos enxergar as fazendas verticais?

Conceito chamou a atenção na metade da década passada, mas a empolgação vingou?

Revista InfraFM

Novo escritório da Sabesp aposta em espaços abertos e integrados

Saiba como o projeto atende novas demandas, com espaços para descompressão, reuniões rápidas e informais.

 
Dúvidas sobre os EVENTOS?
Fale com a nossa equipe pelo WhatsAPP