Parques aquáticos e sustentabilidade: existe conexão?

Com milhares de água sendo usado todos os dias, esse tipo de negócio consegue ser consciente?

Por Mateus Murozaki

Parques aquáticos e sustentabilidade: existe conexão?

Foto: Divulgação

O Brasil apresentou temperaturas recorde este ano e, consequentemente, diversos empreendimentos se beneficiaram do calor exacerbado. Um setor que vem prosperando há algum tempo e que certamente viu um aumento de público foi o de parques aquáticos, que continua firme apesar das dificuldades de se manter um negócio desse tipo.

Não há necessidade de dizer que tais empreendimentos apresentam gastos exorbitantes com água e eletricidade, mas também há a necessidade de investimentos grandes em segurança e, obviamente, em brinquedos e atrações, que são, em sua grande maioria, importados.

Acima de tudo, porém, a sustentabilidade é uma grande preocupação. Não é preciso ser um especialista para imaginar como a responsabilidade por parte dos parques é maior considerando que são milhares de litros de água sendo utilizados todos os dias. Sem ações conscientes, tais empreendimentos podem representar perigos reais para o meio ambiente.

Parques aquáticos e sustentabilidade: como se relacionam?

Ninguém está mais ciente da necessidade de ações sustentáveis em parques aquáticos do que os próprios donos e gestores. Quando pegamos como exemplo um dos maiores empreendimentos na área no Brasil, o Wet’n Wild, percebemos uma clara preocupação com os gastos, tanto naturais quanto monetários.

Desde antes de sua inauguração, a unidade de Itupeva do parque já contava com um sistema próprio de abastecimento de água e tratamento de efluente, tendo como única fonte de captação o lago Ribeirão do Moinho, o que significa que uma grande porção da água é tratada e reutilizada, evitando maiores desperdícios. Hoje, devido aos filtros, são tratados 2 milhões e 600 litros de água por hora.

A água do lago, obviamente, não pode ser utilizada in natura, então há também dois laboratórios nos arredores especializados em tratá-la previamente antes que ela seja direcionada ao parque. Essas ações não apenas ajudam o meio ambiente como também garantem uma maior economia para o empreendimento, o que é essencial visto que se trata de um negócio relativamente custoso devido às constantes atualizações e manutenções que devem ser feitas nos equipamentos.

Participantes do 3º Fórum InfraFM tiveram a oportunidade de fazer uma visita técnica à unidade e presenciar in loco como funciona a gestão do parque, que recebe, diariamente, 12 milhões de visitantes. Caso tenha se interessado, não perca a oportunidade de estar conosco em nossos próximos eventos!


Veja também

Conteúdos que gostaríamos de sugerir para a sua leitura.

Envie os nossos conteúdos por e-mail. Utilize o formulário abaixo e compartilhe os link deste conteúdo com outros profissionais. Aproveite e escreve uma mensagem bacana.

Faça uma busca

Mais lidas da semana

Operações

Como Centro de Distribuição da Unilever conquistou LEED Platinum

Confira quatro práticas da multinacional e garanta insights sobre gestão sustentável.

UrbanFM

"São Paulo é uma máquina de geração de tempo perdido", afirma professora da USP

Entenda quais são os desafios para implementação de novos caminhos na capital paulista.

Mercado

Brasil ultrapassa os 2,5 milhões de sistemas solares fotovoltaicos em casas

Inversores híbridos são os mais indicados para as regiões Norte e Nordeste

Carreira

David Douek fala sobre pioneirismo na construção sustentável brasileira

Empresário percebeu mudança no setor imobiliário ao final dos anos 2000. Confira entrevista exclusiva sobre construção de carreira, especializações em Green Buildings e práticas sustentáveis.

Sugestões da Redação

Revista InfraFM

Legado para os brasileiros e para o planeta

Diretor Executivo do Centro de Serviços Compartilhados da Globo compartilha insights sobre inovação.

Revista InfraFM

Center Norte investe em expansão, novas tecnologias e certificação ISO 41001

Em entrevista exclusiva, equipe de Facilities Management e de Projetos da Cidade Center Norte fala sobre desafios do processo de modernização.

Revista InfraFM

Por qual ângulo devemos enxergar as fazendas verticais?

Conceito chamou a atenção na metade da década passada, mas a empolgação vingou?

Revista InfraFM

Novo escritório da Sabesp aposta em espaços abertos e integrados

Saiba como o projeto atende novas demandas, com espaços para descompressão, reuniões rápidas e informais.

 
Dúvidas sobre os EVENTOS?
Fale com a nossa equipe pelo WhatsAPP