Participe do InfraFM Hospitais
 

Qual o papel da IO na formação de uma cultura de decisão baseada em dados?

Saiba como a Inteligência Operacional gera valor contínuo aos stakeholders e acelera o ciclo de sistematização da inteligência estratégica corporativa neste artigo.

Por Augusto Borella

Qual o papel da IO na formação de uma cultura de decisão baseada em dados?

Imagem: Canva.com/ Anawat_s


Atualmente, o cenário empresarial se caracteriza pela rapidez das mudanças e pela crescente complexidade dos desafios enfrentados. Nesse contexto, mais de 75% das empresas buscam implementar ferramentas de Inteligência Artificial (IA) em seus negócios, conforme apontado pelo relatório "Futuro do Trabalho", do Fórum Econômico Mundial, o que reflete a necessidade de agilidade e eficiência nas tomadas de decisão. Dessa forma, surge a Inteligência Operacional (IO) como uma ferramenta fundamental para estimular uma cultura da decisão baseada em dados, consolidando o conhecimento coletivo corporativo e direcionando ações estratégicas de forma ágil e assertiva.

A IO não se restringe apenas à adoção de tecnologias emergentes, mas também à criação de um ambiente onde pessoas, dados, processos e tecnologias se interconectam para gerar valor operacional contínuo aos stakeholders. Junto a isso, os líderes devem desempenhar um papel importante ao comunicar e engajar suas equipes, estimulando a criatividade e a busca por soluções inovadoras que otimizem as operações e reduzam custos.

Qual o papel da IO na formação de uma cultura de decisão baseada em dados?


​Assim, os dados operacionais refletem a essência das empresas e suas atividades no mundo. Uma governança estruturada lhes garante qualidade e contextualização relevante, tornando a IO imprescindível para fundamentar as tomadas de decisões com maior assertividade, repetibilidade e produtividade. A coleta ampliada das informações, combinando diferentes fontes, como sensores, texto, voz e vídeo, potencializa o valor gerado e acelera o ciclo de sistematização da inteligência estratégica corporativa. A revisão dos processos é outro passo crucial na implementação da IO, pois permite automatizar processos, evitando repetições de erros e otimizando o uso dos recursos disponíveis.

Tudo isso, aliado ao conhecimento coletivo corporativo, consolidado a partir dos dados, é essencial para uma cultura de IO eficiente e, consequentemente, proporciona uma visão mais abrangente das operações da empresa. Por exemplo: um aspecto importante da coleta é que ela não expõe individualmente os colaboradores. Ao invés disso, permite que os erros sejam identificados e analisados de forma agregada, possibilitando a eliminação das causas fundamentais. Para a empresa, os benefícios são melhoria de processos, capacitação dos funcionários a tomar decisões assertivas, sem a necessidade de culpar ou expor os colegas, contexto fundamental para o estímulo da inovação.

Por fim, a IO estimula a evolução das pessoas, a governança dos dados, a revisão de processos e a adoção de tecnologias inovadoras, possibilita que as empresas obtenham vantagens competitivas, resolvam problemas com mais rapidez e otimizem suas operações. Para isso, é fundamental que os líderes instrumentalizem seus colaboradores com o conhecimento coletivo para uma atuação bem-sucedida no mercado atual, tendo em mente que não é apenas uma escolha, mas sim uma necessidade imperativa para as empresas que desejam prosperar em um mundo cada vez mais orientado por dados.


Veja também

Conteúdos que gostaríamos de sugerir para a sua leitura.

Envie os nossos conteúdos por e-mail. Utilize o formulário abaixo e compartilhe os link deste conteúdo com outros profissionais. Aproveite e escreve uma mensagem bacana.

Faça uma busca


Tendências de ESG em Hospitais

Mais lidas da semana

Operações

Cinco passos para humanizar a gestão de terceirizados

Wellington Idalino da Silva, coordenador de manutenção e professor de Facilities Management, explora benefícios da gestão mais estratégica e humanizada.

Workplace

Como Mercado Livre reinventou espaço de trabalho com conceito híbrido

Manager of Real Estate da empresa compartilha detalhes da reforma da Melicidade.

Operações

Método de incorporação dos critérios ESG nos processos decisórios

Apesar de convergências, ainda não há consenso sobre o que priorizar nos critérios de ESG. Leia o segundo artigo da série "A corda bamba do ESG.

Mercado

Conheça como a Toyota revoluciona área de Facilities Management

Nova Head de Facilities da multinacional fala sobre cases da carreira e novos desafios.

Sugestões da Redação

Revista InfraFM

Legado para os brasileiros e para o planeta

Diretor Executivo do Centro de Serviços Compartilhados da Globo compartilha insights sobre inovação.

Revista InfraFM

Center Norte investe em expansão, novas tecnologias e certificação ISO 41001

Em entrevista exclusiva, equipe de Facilities Management e de Projetos da Cidade Center Norte fala sobre desafios do processo de modernização.

Revista InfraFM

Por qual ângulo devemos enxergar as fazendas verticais?

Conceito chamou a atenção na metade da década passada, mas a empolgação vingou?

Revista InfraFM

Novo escritório da Sabesp aposta em espaços abertos e integrados

Saiba como o projeto atende novas demandas, com espaços para descompressão, reuniões rápidas e informais.

 
Dúvidas sobre os EVENTOS?
Fale com a nossa equipe pelo WhatsAPP