Educar para desconstruir padrões na prestação de serviços

Coordenadores da Área de Limpeza, Serviços e Audiovisual do SESC SP nos contam os desafios para desconstruir padrões para evoluir no processo educativo diverso, na prestação de serviços especializados

Foto: Divulgação

A revista InfraFM foi convidada para entender o processo da Limpeza Verde nas unidades do SESC São Paulo, bem como conhecer um pouco melhor a divisão de Facilities-Soft Services, denominado como área de Serviços entrevistando os gestores/as das áreas de Limpeza, Segurança, Gestão da Frota, Áudio, Vídeo e Iluminação Cênica do SESC SP. A reunião aconteceu no prédio da unidade 24 de Maio, que possui localização privilegiada e projeto de Arquitetura de Paulo Mendes da Rocha, um renomado arquiteto brasileiro, conhecido por sua abordagem modernista e minimalista.

O SESC é uma instituição brasileira privada, mantida pelos empresários/as do comércio de bens, serviços e turismo, com atuação em todo âmbito nacional, voltada prioritariamente para o bem-estar social dos seus empregados/as e familiares, porém aberto à comunidade em geral. A unidade da 24 de Maio está localizada na região central da capital e oferece uma ampla gama de atividades culturais, esportivas, educacionais. Suas instalações contam com espaços dedicados a diferentes manifestações artísticas, como teatro, dança, música, exposições, cinema, além de espaços de leitura, práticas esportivas e recreativas, clínica odontológica, restaurante e cafeterias. Essas atividades são ofertadas através de uma programação diária, tornando a rotina da área de serviços, dinâmica e intensa. A área de serviços é responsável por toda a preparação dos espaços programáticos desde a montagem, organização, limpeza, segurança do local e dos públicos o que exige planejamento, utilização de tecnologias, equipes treinadas e boas contratações de empresas de suporte a essas atividades para atendimento com excelência. 

Agora, o leitor vai saber um pouco mais como tudo isso impacta as áreas de Limpeza, Serviços e Audiovisual do SESC SP, através das entrevistas com os coordenadores dessas áreas. 

Limpeza verde

O movimento de Limpeza Verde surgiu nos Estados Unidos em 1990 e tinha como diretrizes principais a proteção da saúde e do meio ambiente, adotando práticas e produtos químicos com menor impacto ambiental, sustentáveis e eficazes em termos de custo e desempenho. Essas diretrizes buscavam promover a utilização de produtos de limpeza ecológicos, além de incentivar o uso de equipamentos ergonômicos, eficientes e de maior durabilidade. O objetivo era reduzir o impacto negativo da limpeza nos ecossistemas, garantindo ao mesmo tempo a eficácia das atividades e proporcionando melhores condições de trabalho para os/as profissionais envolvidos. E foi a partir desta pesquisa por melhores práticas que em 2016, o SESC SP aceitou o desafio de se tornar mais sustentável e adotou a Limpeza Verde em suas unidades.

A Coordenadora de Serviços de Limpeza do SESC-SP, explica: “Quando falamos de Limpeza Verde, analisamos o processo e definimos o que vamos implementar para proporcionar melhores condições de trabalho para os/as profissionais da limpeza, tornar a limpeza mais eficiente e reduzir o esforço físico”. A Limpeza Verde nas unidades contempla o tripé: tecnologia, meio ambiente e aspectos sociais. A tecnologia inclui equipamentos ergonômicos, eficientes, que operam por mais tempo com menos tempo de carga e ainda que sejam compactos para transporte nos carrinhos funcionais. Estar tudo à bordo e à mão otimiza os processos. 

Em relação ao meio ambiente, exige que as empresas contratadas adquiram produtos químicos com o rótulo ecológico da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), concentrados e diluídos em equipamentos automáticos, abastecendo frascos retornáveis, reduzindo assim o volume de embalagens plásticas descartadas. Além disso, as unidades contam com máquinas de lavar e secar roupa para a lavação de materiais têxteis como panos, restringindo o uso de panos descartáveis às Clínicas Odontológicas e Comedorias (restaurantes e lanchonetes). 

Quanto ao aspecto social, a oferta de tecnologias e proposição de processos que impactem na qualidade de vida dos/as profissionais de limpeza, historicamente vulnerabilizados, está alinhado com a premissa da sustentabilidade de uma forma integral, analisando não apenas para os aspectos relacionados ao meio ambiente, mas também o impacto na vida das pessoas. Esse processo está alinhado com as diretrizes do SESC, que propõe o implemento de novas e melhores maneiras de realizar suas atividades, sempre tendo como referência o cuidado com as pessoas, o caráter educativo de todas as suas atividades e serviços e uma atuação ética, voltada à observância das normas e transparência das relações institucionais.

Segurança, serviços e gestão da frota 

Para o Coordenador da área, o maior desafio é a dificuldade de uma operação padrão, devido às características dos produtos culturais oferecidos nas unidades, para diferentes públicos e em diferentes geografias e vocações prediais das unidades.

Como exemplo, na unidade 24 de Maio, o fluxo de público convida ao trânsito livre, ligando a rua Dom José de Barros à Rua 24 de Maio. A ausência de catracas, premissa em todas as unidades, é um convite à convivência, permanência e contato com as programações ofertadas. Por isso, garantir livre acesso a unidade, que ainda conta com espaços de uso restrito como piscinas e clínica odontológica, com o livre atendimento como as exposições, cafeterias, espaços de leitura mantendo a sensação de estar em um ambiente seguro sem a presença ostensiva de vigilantes é o grande desafio da área.

O SESC SP adota um modelo de contratação criterioso, que segue normas próprias sobre licitações e contratos administrativos. Por isso, as equipes de Serviços atuam intensamente para elaboração de memoriais descritivos que considere as melhores e mais modernas práticas operacionais, de gestão e de oferta de materiais, cuidando para o estabelecimento de todos os detalhes, desde o material e cor dos uniformes dos/as vigilantes até procedimentos de conduta e respeito aos diversos públicos que frequentam as unidades. 

Assim como as/os profissionais que atuam na Limpeza Verde, os/as vigilantes recebem treinamento específico no campo do atendimento ao público, pois a postura exigida no SESC difere do que é encontrado no mercado. É importante garantir que o público viva uma boa experiência, passando sobretudo pelo campo da interação. O fácil acesso e diálogo acolhedor com os/as vigilantes é necessário, por isso, prepará-los para o exercício da escuta e o direcionamento correto é essencial. Alinhar essas questões e prepará-los/as para o cuidado e a melhor condução desse tipo de situação, passa pela desconstrução de preconceitos e estereótipos reforçando o caráter educativo da instituição. 

Portanto, “os/as vigilantes precisam ser treinados para alinhamento das linguagens, recepções, acolhimento do público e identificação de situações diversas, além de seguirem as orientações técnicas, procedimentos e cuidados necessários com o público”, destacou o Coordenador. 

No que se refere à gestão da frota, contam atualmente com veículos de uso dos empregados, carretas adaptadas para o atendimento odontológico, caminhões de itinerância como os Bibliosesc, a frota com caminhões/caminhonetes refrigerados da logística do programa Mesa Brasil, que coleta alimentos em empresas parceiras doadoras e entrega em instituições sociais cadastradas, além de tratores, motonetas, ônibus para atendimento as unidades de Itaquera, Interlagos e Bertioga. O grande desafio da área está na gestão, modernização e manutenções eficiente, além da transição para modelos elétricos, seja por aquisição ou locação.

Áudio, vídeo e iluminação cênica 

Áudio, Vídeo e Iluminação Cênica desempenham um papel vital na criação de experiências audiovisuais impactantes, garantindo a qualidade do som, da imagem e da iluminação em eventos e shows. Essa área contribui diretamente para a satisfação do público, a valorização dos artistas e a criação de atmosferas envolventes e memoráveis.

O analista da área destaca que o setor de entretenimento, shows e cultura é muito importante para a instituição. Ele ressalta que esse trabalho começa muito antes, desde o projeto arquitetônico de cada unidade, exigindo um bom planejamento e estudo do local. O objetivo é proporcionar uma experiência única para o público e para o artista, finalizando apenas quando o último sinal é tocado.

O SESC SP realiza eventos em diversos espaços, o que requer preparação para esses projetos, entendendo a integração da infraestrutura, das instalações e dos equipamentos. “O retrofit é uma constante de todos os equipamentos técnicos, do áudio, vídeo, som e iluminação, onde adotamos práticas para mantê-los alinhados com as últimas tendências tecnológicas e preparados para receber os projetos”, exemplificou.

Além das programações nas unidades, há também os eventos em rede, para os quais é necessário preparar um caminhão e montagens em locais específicos ou até mesmo nos equipamentos públicos. Às vezes, a montagem e desmontagem precisam ser concluídas em apenas um dia, seguido do deslocamento para outra cidade. O recado que deixa é que, embora seja possível planejar quase tudo com 100% de antecedência, é fundamental contar com os prestadores de serviços contratados. Gerir e colocar as pessoas certas dentro dos processos estabelecidos.

Atualmente a parte de áudio e vídeo representa uma boa parte do patrimônio regional, o que requer uma gestão cuidadosa desses equipamentos. Portanto, eles fornecem treinamentos contínuos para os técnicos da instituição e/ou terceirizados.
Em conclusão, a visita à unidade 24 de Maio do Sesc SP proporcionou uma compreensão mais aprofundada dos processos de contratação de serviços terceirizados, ficando evidente que a instituição está empenhada em adotar práticas sustentáveis, promover condições de trabalho adequadas e oferecer experiências de alta qualidade para o público.

A implementação da Limpeza Verde demonstrou um compromisso em proteger a saúde e o meio ambiente, utilizando práticas e produtos com menor impacto ambiental. Além disso, foram promovidos processos educativos, treinamentos e valorização da diversidade, destacando o aspecto social dessa iniciativa em seus processos. Na Segurança, o desafio de garantir atendimento de forma abrangente e imperceptível, criando um ambiente seguro e acolhedor para todos os frequentadores. Quanto aos eventos, ficou evidente a valorização na criação de experiências audiovisuais impactantes. O planejamento cuidadoso, a busca por tecnologias atualizadas são estratégias adotadas para garantir a excelência nas operações.

No geral, a conversa com os Coordenadores proporcionou uma visão abrangente das práticas e abordagens adotadas pela instituição. O compromisso com a sustentabilidade, a segurança e a qualidade nas experiências oferecidas refletem o papel do SESC em promover o bem-estar social, a inclusão e o desenvolvimento humano da comunidade, do povo brasileiro.

Nota do Editor: No site www.sesc.org.br há disponível um rico material (a exemplo de modelos de editais) que contribuem com insights para os prestadores de serviços especializados que desejam rever seus modelos de processos na oferta de serviços, num contexto mais organizado e sustentável. 


Veja também

Conteúdos que gostaríamos de sugerir para a sua leitura.

Envie os nossos conteúdos por e-mail. Utilize o formulário abaixo e compartilhe os link deste conteúdo com outros profissionais. Aproveite e escreve uma mensagem bacana.

Faça uma busca

Mais lidas da semana

Operações

Como Centro de Distribuição da Unilever conquistou LEED Platinum

Confira quatro práticas da multinacional e garanta insights sobre gestão sustentável.

UrbanFM

"São Paulo é uma máquina de geração de tempo perdido", afirma professora da USP

Entenda quais são os desafios para implementação de novos caminhos na capital paulista.

Mercado

Brasil ultrapassa os 2,5 milhões de sistemas solares fotovoltaicos em casas

Inversores híbridos são os mais indicados para as regiões Norte e Nordeste

Carreira

David Douek fala sobre pioneirismo na construção sustentável brasileira

Empresário percebeu mudança no setor imobiliário ao final dos anos 2000. Confira entrevista exclusiva sobre construção de carreira, especializações em Green Buildings e práticas sustentáveis.

Sugestões da Redação

Revista InfraFM

Legado para os brasileiros e para o planeta

Diretor Executivo do Centro de Serviços Compartilhados da Globo compartilha insights sobre inovação.

Revista InfraFM

Center Norte investe em expansão, novas tecnologias e certificação ISO 41001

Em entrevista exclusiva, equipe de Facilities Management e de Projetos da Cidade Center Norte fala sobre desafios do processo de modernização.

Revista InfraFM

Por qual ângulo devemos enxergar as fazendas verticais?

Conceito chamou a atenção na metade da década passada, mas a empolgação vingou?

Revista InfraFM

Novo escritório da Sabesp aposta em espaços abertos e integrados

Saiba como o projeto atende novas demandas, com espaços para descompressão, reuniões rápidas e informais.

 
Dúvidas sobre os EVENTOS?
Fale com a nossa equipe pelo WhatsAPP