Primeiras telhas fotovoltaicas de concreto do Brasil

home > Índice de Mundo Facility > Conteúdo
 

Primeiras telhas fotovoltaicas de concreto do Brasil

[Vitrine Facilities] Eternit inicia vendas a clientes no estado de SP

A Eternit iniciou a comercialização, neste mês, das suas telhas fotovoltaicas de concreto BIG-F10. O produto Tégula Solar, uma das principais apostas em tecnologia da companhia, é inédito no mercado brasileiro e permite a transformação da luz solar em energia elétrica. Neste primeiro momento, as telhas foram vendidas para clientes selecionados no Estado de São Paulo e próximos à unidade fabril, em Atibaia. A seleção foi feita pela equipe técnica e comercial da empresa com base na capacidade inicial de produção e na formação de um portfólio de projetos de referência para diversas condições climáticas, padrões construtivos e possibilidades de aplicação.

O novo produto é parte do processo de reestruturação da empresa e está alinhado à estratégia de construção de um portfólio de produtos sustentável e inovador. "Queremos democratizar o acesso à energia elétrica originada a partir de fontes renováveis no Brasil, através de uma tecnologia revolucionária que pode gerar retornos sobre o investimento em um período de 3 a 5 anos", destaca o presidente do Grupo Eternit, Luís Augusto Barbosa.

"O que existe hoje em larga escala são placas fotovoltaicas cujos modelos precisam ser instalados em cima dos telhados, nem sempre prezando pela melhor estética", explica Luiz Antonio Lopes, responsável pela área de Desenvolvimento de Novos Negócios da Eternit. "O Grupo Eternit aposta no imenso potencial de mercado da nova telha fotovoltaica em todo o país. Seus diferenciais são únicos no mundo, por ser um produto de alto valor agregado, fácil instalação, seguro e mais disruptivo do que as soluções atuais a partir de um modelo esteticamente avançado. Foram três anos de testes e de adaptações para chegarmos ao modelo ideal, com as células fotovoltaicas integradas no material. No caso da Tégula Solar, aplicadas diretamente no concreto respeitando o formato em curvas das telhas. O efeito visual fica muito bonito", diz.

 Testes rigorosos - Aprovada e registrada pelo Inmetro desde 2019, a telha Tégula Solar mede 36,5 cm por 47,5 cm e é composta de concreto, com a incorporação de células fotovoltaicas em sua superfície. Possui uma potência de 9,16 watts, o que representa uma capacidade média mensal de produção de 1,15 Kwh, com vida útil estimada em 20 anos. "É um produto de fácil instalação e que não interfere na arquitetura das construções, com peso e estrutura semelhantes ao das telhas convencionais, mas que agrega valor ao telhado, além de oferecer proteção, conforto térmico e acústico", acrescenta Luiz Antonio Lopes.

Para alcançar o resultado esperado, o produto passou por uma série de rigorosos testes de desempenho e durabilidade, no Brasil e no exterior, ao longo de quase três anos. Em 2019, foram iniciados testes em instalações internas. Já no início de 2020, foram realizadas instalações no laboratório de sistemas fotovoltaicos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis, e no Instituto de Engenharia e Ambiente da Universidade de São Paulo (IEE/USP). Na sequência, vieram as implementações de projetos-pilotos em localidades e condições climáticas diversas do país.

Neste ano, em mais uma demonstração de rigor e preocupação com a vida útil do produto, a Eternit enviou novas amostras para o Instituto PI Berlin, na Alemanha, laboratório referência em testes de produtos fotovoltaicos no mundo. "O Instituto é capaz de realizar testes que não são viáveis no Brasil. Portanto, foi uma etapa crucial para a validação da tecnologia", ressalta Lopes.

Foto: Divulgação.

Envie os nossos conteúdos por e-mail. Utilize o formulário abaixo e compartilhe os link deste conteúdo com outros profissionais. Aproveite e escreve uma mensagem bacana.

Envie os nossos conteúdos por e-mail. Utilize o formulário abaixo e compartilhe os link deste conteúdo com outros profissionais. Aproveite e escreve uma mensagem bacana.

Aproveite para compartilhar conosco o que achou do teor deste conteúdo. Nossa equipe e o mercado querem ouvir a sua opinião. Vamos lá?

Faça uma busca

Acontece

Sugestão da redação

Mundo Facility

Manutenção Industrial na UTGCA

[Vitrine Facilities] Contrato envolve 29 meses de contrato e 50 colaboradores

Mundo Facility

Novo Centro de Educação e Pesquisa Albert Einstein, em São Paulo

Local será revestido com tecnologia alemã autolimpante que utiliza a água da chuva

Mundo Facility

Google compra escritório em Nova York por R$10 bilhões

Compra é vista como um plano de retorno aos escritórios

Mundo Facility

EcoShapes é um material ecologicamente correto

[Vitrine Facilities] Contém 70% de PET reciclado e contribui com conforto acústico

Matérias líderes de audiência

Mundo Facility

Manutenção Industrial na UTGCA

[Vitrine Facilities] Contrato envolve 29 meses de contrato e 50 colaboradores

Mundo Facility

Novo Centro de Educação e Pesquisa Albert Einstein, em São Paulo

Local será revestido com tecnologia alemã autolimpante que utiliza a água da chuva

Mundo Facility

Google compra escritório em Nova York por R$10 bilhões

Compra é vista como um plano de retorno aos escritórios

Mundo Facility

EcoShapes é um material ecologicamente correto

[Vitrine Facilities] Contém 70% de PET reciclado e contribui com conforto acústico